quarta-feira, 30 de Setembro de 2009

Inaguração da Cobertura do Polidesportivo da Escola Básica do 1.º Ciclo de Gaula (Santa Cruz)




O Presidente do Governo Regional inaugurou, no dia 29 de Setembro de 2009, terça-feira, pelas 18h30, a Cobertura do Polidesportivo da Escola Básica do 1º Ciclo de Gaula, no Concelho de Santa Cruz

Numa Freguesia onde as intempéries de Inverno são rigorosas, havendo longos ciclos de chuva, a obra da responsabilidade do Governo Regional, vem dotar este complexo desportivo de melhores condições para a prática desportiva, permitindo sempre a sua utilização pela população escolar e outras entidades.

Garantindo uma melhor integração do edifício escolar com o polidesportivo coberto e destes com a envolvente, a intervenção consistiu na execução de uma cobertura constituída por painéis “sanduíche”, com perfil interior e exterior em chapa de alumínio pré lacado, intercalados com painéis translúcidos que permitirão uma melhor luminosidade natural à área de jogo. A nova cobertura assenta sobre uma estrutura aligeirada em madeira, formada por vigas curvas e apoiadas sobre pilares duplos.

A empreitada contemplou, também, a execução de um pavimento sintético com as respectivas marcações desportivas na área de jogo e a execução de uma cobertura “aligeirada” abrangendo a referida área de jogo, a área de bancadas e as zonas de circulação envolventes. Todo o recinto foi ainda vedado com rede do tipo “Bekaert” com 6m de altura.

Trata-se de mais um investimento público do Governo Regional, na Freguesia de Gaula, Concelho de Santa Cruz, que ascendeu a 437.000,00 Euros.















PGRAM


Jardim elogia freguesia com serviços públicos iguais a qualquer cidade europeia
«Comunidade de Gaula sempre soube o que quis»


Para o presidente do Governo Regional da Madeira, a freguesia de Gaula dispõe de serviços públicos semelhantes ao de qualquer cidade europeia. Por isso, «está nas mãos de cada povo levar por diante os seus sonhos». Na inauguração da cobertura do polidesportivo de Gaula, Alberto João Jardim elogiou a população daquela freguesia pelo facto de sempre ter demonstrado o que queria. Só lamenta que haja povos que não tenham horizontes traçados.




A cobertura do polidesportivo da Escola Básica do 1.º Ciclo de Gaula, em Santa Cruz, é mais uma promessa cumprida do presidente do Governo Regional da Madeira, Alberto João Jardim para com a população, desta vez a de Gaula. Ontem, na inauguração da renovação daquele espaço desportivo, o líder do Executivo madeirense disse que as palmas seriam dadas pelas entidades oficiais ao povo de Gaula, cuja comunidade «sempre soube o que quis».
Dirigindo-se à população que ocupava a bancada do polidesportivo, Jardim deu os parabéns à forma de estar na vida do povo de Gaula. «Dou os parabéns à vossa vontade de querer ir sempre em frente, porque é uma freguesia que tem a particularidade de ter a Gaula de cima e a de baixo, a paróquia de cima e a de baixo, mas tem sido uma comunidade que tem sabido o que quer e tem sabido articular os meios que dispõe e soube fazer um esforço para se desenvolver».
Com uma comunidade organizada, Jardim adianta que actualmente a freguesia de Gaula, em termos de serviços públicos autárquicos e do governo, tem o mesmo que qualquer cidade europeia. Por isso, refere que «está nas mãos de cada povo levar por diante os seus sonhos». Contudo, lamenta que existam povos que não tenham sonhos e «só queiram discutir os cinco tostões do azeite ou dos tremoços e não têm outros horizontes».
Relativamente à construção da cobertura do polidesportivo que vai proteger os alunos das intempéries do Inverno de Gaula, Alberto João Jardim quis realçar que, embora esta seja uma obra para a escola, o polidesportivo é também dirigido à população em geral.
Aquela freguesia do concelho de Santa Cruz conta já com um elevado número de residentes e, como tal, é preciso dinamizar a prática desportiva. Deste modo, tem de haver uma parceria entre a direcção daquele estabelecimento de ensino e a própria Junta de Freguesia para que a população possa usufruir do recinto despotivo. «Quem quer viver mais uns anos tem de estar desenferrujado», brincou Jardim.

Meio milhão de euros para as escolas de Santa Cruz

Para o presidente da Câmara Municipal de Santa Cruz, José Alberto Gonçalves, a comunidade de Gaula ficou «mais rica» com a colocação da cobertura no polidesportivo que irá beneficiar não só os 122 alunos da escola do 1.º ciclo de Gaula, bem como a população em geral.
Num investimento público do Governo Regional que ascendeu aos 400 mil euros, aquele estabelecimento de ensino ficou ainda mais valorizado, já que é uma escola que tem trabalhado em prol do ambiente, tendo ganho oito bandeiras verdes. «Isto é possível com a iniciativa da escola, com a participação dos pais, mas também porque a Câmara e o Governo Regional estão de mãos dadas a contribuir para que isto seja possível».
José Alberto Gonçalves revelou que a autarquia de Santa Cruz dispõe de meio milhão de euros no fundo social municipal para as escolas do concelho «e é com orgulho que dizemos que o nosso parque escolar é de excelência, todos os directores mencionam a qualidade das escolas e dos transportes». Isto para além das iniciativas por altura do dia da criança e da árvore.

Alunos agradecem protecção «da chuva, do sol e do sereno»

Na inauguração, que contou com a presença do vice-presidente da Assembleia Legislativa da Madeira e dos secretários regionais do Equipamento Social e de Educação e Cultura, os alunos puderam manifestar a sua alegria por o polidesportivo ter sido renovado.
Uma aluna, que falou pela comunidade escolar, agradeceu a todos os que contribuíram para que a obra fosse possível. A partir de agora, os alunos nas aulas de educação física «vão estar protegidos do sol, da chuva e do sereno da manhã e as festividades da escola, que são abertas à comunidade, também terão um ambiente mais aprazível, onde todos poderão sentar-se e assistir ao espectáculo», declarou a menina.


A OBRA

O Polidesportivo da Escola Básica do 1º Ciclo de Gaula, no concelho de Santa Cruz, passou a ter uma cobertura que protege os alunos das intempéries de Inverno. Esta obra, da responsabilidade do Governo Regional, vem dotar este complexo desportivo de melhores condições para a prática desportiva, permitindo sempre a sua utilização pela população escolar e outras entidades. Garantindo uma melhor integração do edifício escolar com o polidesportivo coberto e destes com a envolvente, a intervenção consistiu na execução de uma cobertura constituída por painéis “sanduíche”, intercalados com painéis translúcidos que permitirão uma melhor luminosidade natural à área de jogo. A empreitada contemplou, também, a execução de um pavimento sintético com as respectivas marcações desportivas na área de jogo e a execução de uma cobertura “aligeirada” abrangendo a referida área de jogo, a área de bancadas e as zonas de circulação envolventes. Todo o recinto foi ainda vedado com rede do tipo “Bekaert” com 6m de altura. Este investimento custou ao Governo Regional 437.000,00 euros.


Jornal da Madeira

Inaguração do Caminho Agrícola do Lombo de Antão Alves (Santana)



O Presidente do Governo Regional da Madeira inaugurou no dia 29 de Setembro, terça-feira, pelas 17.00 horas, o Caminho Agrícola do Lombo de Antão Alves, no concelho de Santana.

A correcção e pavimentação deste Caminho Agrícola, numa extensão de 800 metros com uma faixa de rodagem de 3,5 metros acrescidos de 0,5 metros para valeta, veio beneficiar uma vasta zona agrícola e algumas moradias e potenciar no futuro a construção de outras dada a sua localização.

Os trabalhos desta obra compreenderam a execução de alguns muros de suporte, atravessamentos para rega, entradas para armazéns agrícolas, habitações e terrenos.

A pavimentação em tapete betuminoso antecedido de regas asfálticas aplicadas sobre uma camada de tout-venant.

O custo desta obra foi de 141.856,00 Euros e foi da responsabilidade da Câmara Municipal de Santana.












PGRAM

Jardim elogiou estratégia de Santana de criar condições para o investimento futuro
Concelhos rurais devem saber atrair privados

O presidente do Governo Regional da Madeira, Alberto João Jardim, inaugurou, na tarde de ontem, o novo caminho agrícola no Lombo Antão Alves, em Santana. Um investimento da autarquia que foi elogiado pelo líder do Executivo madeirense, já que há uma crescente procura dos privados em investir nas zonas rurais. Contudo, estas localidades têm de ter condições infra-estruturais. De acordo com Jardim, Santana seguiu a estartégia correcta de primeiro criar as comodidades, para depois atrair os investidores privados.





As zonas rurais têm de oferecer condições ao nível de infra-estruturas, para que os privados possam investir, logo que este ciclo de dificuldade económica passe. O concelho de Santana tem seguido esta estratégia e ontem o presidente do Governo Regional da Madeira, Alberto João Jardim, na inauguração do caminho agrícola no Lombo de Antão Alves, elogiou esta política definida pelo autarca de Santana, Carlos Pereira.
«Há infra-estruturas que o seu efeito económico, reprodutivo e sustentável, por vezes, não se manifesta imediatamente e o presidente da Câmara teve a inteligência de, preservando a paisagem de Santana, de dotar esta freguesia de estruturas necessárias para o seu desenvolvimento económico», começou por afirmar Jardim, no seu discurso.
Desculpando-se pelos problemas que tinha na voz, o presidente do Governo Regional recordou que actualmente há uma procura crescente pelas zonas rurais e «de paisagem maravilhosa, como é o caso de Santana». Por isso, é necessário que os concelhos, que tenham estas características, «estejam em condições de responder a essa procura», referiu Jardim. Isto porque quando este ciclo de dificuldade financeira terminar, o investimento voltará a crescer «e os empresários vão para onde já há infra-estruturas. Os privados procuram saber se já há energia, água, melhores acessibilidades e até tv por cabo». Actualmente, «as pessoas gostam de investir em zonas rurais, mas exigem todas estas comodidades para esse investimento e portanto esta estratégia que a Câmara de Santana desenvolve é correcta, porque não fica à espera dos investidores, cria condições para atrair os empresários».
Dirigindo-se a Carlos Pereira, Alberto João Jardim salientou que «o futuro e a história vão dar-lhe razão por ter tido a visão de ter feito esta obra».
O novo caminho agrícola do Lombo de Antão Alves vai potenciar não só a actividade agrícola, mas também a construção de novas habitações.

Para os madeirenses é prioritário
cumprir dever democrático


No final do discurso e depois de brincar com o nome dos sítios de Antão Alves e Simão Alves, Jardim quis agradecer publicamente aos madeirenses, que no domingo passado, foram exercer o seu direito de voto, «fosse lá em que partido fosse». Quem foi votar «exerceu o direito de soberania e deu o exemplo aos tipos que ficam em casa a dormir», criticou.
Referindo-se às próximas eleições, as autárquicas, a 11 de Outubro, o líder do Executivo madeirense explicou que «agora é que são as vossas eleições e por isso peço a todos, independentemente em quem queriam votar, que vão cumprir o seu dever de voto».No seu entender, «a democracia é isto mesmo e os tempos não estão bons em Portugal. Nós temos que aqui na Madeira ter sempre esta preocupação vigorosa e prioritária de cumprirmos os nossos deveres democráticos para também, em todo o momento, podermos dizer quais são os nossos direitos democráticos», rematou.

Terrenos agrícolas valorizados

Durante a cerimónia de inauguração do novo caminho agrícola de Santana, o actual presidente da autarquia, Carlos Pereira, agradeceu a população do Lombo Antão Alves que «foram colaborantes e cederam os terrenos para que a autarquia conseguisse fazer o caminho».
Com a nova acessibilidade, os proprietários dos terrenos ficam com o seu património valorizado e para além disso, com potencialidade para o desenvolvimento da agricultura, o desenvolvimento sustentável e ainda para a construção de habitação nesta localidade.
«O que se faz em Santana faz-se pelo futuro da Madeira e estamos construindo a Madeira em Santana», afirmou o autarca, cujo mandato está a terminar.
No seu entender, a construção do caminho agrícola foi «um investimento de futuro para que Santana seja cada vez mais uma terra onde dá prazer viver», concluiu Carlos Pereira.


A OBRA

O Caminho Agrícola do Lombo de Antão Alves, no concelho de Santana, ontem inaugurado, foi uma obra da responsabilidade da Câmara Municipal de Santana. A correcção e pavimentação do caminho agrícola, numa extensão de 800 metros com uma faixa de rodagem de 3,5 metros, veio beneficiar uma vasta zona agrícola e algumas moradias e potenciar no futuro a construção de outras dada a sua localização.
Os trabalhos desta obra compreenderam a execução de alguns muros de suporte, atravessamentos para rega, entradas para armazéns agrícolas, habitações e terrenos. A pavimentação em tapete betuminoso antecedido de regas asfálticas aplicadas sobre uma camada de tout-venant. O custo desta obra foi de 141.856,00 euros.




Jornal da Madeira

Nova escola em Câmara de Lobos

Estabelecimento destinado ao pré-escolar e primeiro ciclo


O secretário regional do Equipamento Social visitou ontem as obras de construção da Escola Básica do Primeiro Ciclo do Espírito Santo, em Câmara de Lobos. Este estabelecimento de ensino, que irá custar cerca de 2,3 milhões de euros, deverá estar concluído a tempo do próximo ano lectivo.





A nova Escola Básica do Primeiro Ciclo do Espírito Santo deverá estar em funcionamento no próximo ano lectivo, informou ontem o secretário regional do Equipamento Social, durante uma visita às obras de construção deste estabelecimento, orçado em 2,3 milhões de euros.
«A obra está a ser construída conforme programa do Governo, sem atrasos, e vem substituir a actual escola» localizada nas proximidades, destacou Luís Santos Costa, momentos antes de iniciar a visita.
O novo estabelecimento vai acolher cerca de 350 crianças, distribuídas pelo pré-escolar e pelo primeiro ciclo.
Está também a ser construído um polidesportivo, que funcionará não apenas como estrutura desportiva de apoio à escola, como também servirá a população exterior à escola, à semelhança aliás da política que tem sido seguida pelo Governo Regional com outros polidesportivos.
Os 2,3 milhões de euros investimentos para a criação desta infra-estrutura servem também para a construção de novos acessos àquela zona.
Num concelho que regista uma população jovem bastante elevada, o secretário regional do Equipamento Social considerou aquele estabelecimento de ensino «fundamental» para Câmara de Lobos.
A nova unidade escolar irá dispor de três salas de Educação Pré-Escolar, 12 salas para o Primeiro Ciclo e quatro salas de actividades não curriculares, nomeadamente sala de expressão plástica, sala de inglês, sala de informática e biblioteca.
O edifício desenvolve-se em quatro pisos.
De acordo com informação disponibilizada pela Secretaria Regional do Equipamento Social, para além do edifício escolar, «está prevista a construção de um campo desportivo em piso sintético (44mx22m), com zona de bancadas e balneários de apoio à unidade desportiva e um espaço para um polivalente».
Segundo a mesma fonte, «os arranjos exteriores incluem, para além dos acessos e estacionamentos, zonas de recreio (coberto e descoberto), envolventes ao edifício e espaços verdes.




Jornal da Madeira

Miguel Albuquerque reitera confiança nos investimentos privados no Funchal

“Apoio sem complexos”








O presidente da Câmara Municipal do Funchal reiterou, ontem, a confiança relativamente aos investimentos privados “sérios”. Miguel Albuquerque falava no âmbito da inauguração de dois edifícios em Santo António.



O presidente da Câmara Municipal do Funchal foi convidado para inaugurar os edifícios Séc. XXI 1 e 2, na Avenida das Madalenas, Santo António, um investimento da Socicorreia, no valor de 11 milhões de euros.
Esta foi uma oportunidade para Miguel Albuquerque manifestar, uma vez mais, a necessidade de apoiar os investimentos na cidade.
“Para a autarquia do Funchal, os investidores sérios merecem o nosso respeito, a nossa atenção e o nosso carinho”, disse, olhando para Custódio Correia, administrador da Socicorreia.
Segundo adiantou, nesta “fase difícil que o país atravessa, a nossa intenção é manter a prosperidade na nossa cidade, porque só o investimento e a prosperidade podem proporcionar qualidade de vida, bom ambiente urbano e políticas sociais e distributivas para todos os cidadãos”, salientou.
Albuquerque adiantou, por isso, que o objectivo é “continuar a apoiar esta empresa, com toda a transparência” tendo reiterado que “uma das obrigações fundamentais de uma autarquia é garantir esta prosperidade e desenvolvimento”, non sentido de dar “ao mercado o que é do mercado, ao Estado o que é do Estado, é esse o nosso lema, tudo com a maior transparência”.
Por esta razão, continua a apoiar os investidores. “No Funchal, não temos complexos, apoiamos quem investe, quem cria riqueza e é exactamente essa prosperidade que nos permite apoiar socialmente os sectores mais vulneráveis da nossa sociedade e desenvolver políticas de integração e de apoio aos que mais necessitam”.
Albuquerque salientou que “não é possível distribuir riqueza que não é gerada, da mesma forma que se não houver receita na empresa não pode pagar salários” tendo reiterado que este mecanismo se aplica relativamente ao Estado, às autarquias e às sociedades.
O autarca enalteceu o papel que a Socicorreia tem tido na capital madeirense, porque vai de encontro às pretensões da autarquia.
Recordou que há nove anos quando foi aberta a Avenida da Madalena havia poucos edifícios e o objectivo, desde então, foi criar uma nova centralidade com qualidade para os habitantes da freguesia de Santo António.
Hoje, disse, “pode-se constatar que é uma zona com bonitos edifícios, bem planeada, com áreas comerciais, supermercados e espaços verdes onde vai ser construído nos próximos anos um jardim público para servir as habitações colectivas a montante”, garantiu.


Socicorreia investiu 34 milhões em 4 anos
A empresa Socicorreia - Investimentos Imobiliários (Grupo ACF) investiu, nos últimos quatro anos, 34 milhões de euros no Funchal. Ontem, inaugurou mais dois edifícios, os edifícios Séc. XXI 1 e 2, na Avenida das Madalenas, no valor de 11 milhões de euros.
O edifício Séc XXI 1 cujo leque de vendas superou as expectativas está, neste momento, totalmente comercializado. O edifício Séc XXI 2 atingiu um excelente ritmo de comercialização sendo a sua taxa de ocupação superior a 60%, garantiu Custódio Correia, da administração.
Durante a inauguração, o responsável sublinhou que “estes empreendimentos são excelentes exemplos do sucesso de vendas que inauguram uma nova era na promoção da imobiliária madeirense, com um novo tipo de construção distinta, requintada e inovadora, que cativou o olhar e atenção dos madeirenses, em especial dos que acabaram por ficar clientes”.
Estão em construção os edifícios Séc. XXI 3 e 4, nos Barreiros - Travessa dos Valentes. Em breve, vai ter início o edifício Séc XXI 5, na Avenida das Madalenas, próximo aos edifícios Séc XXI I e II.
Custódio Correia enalteceu a colaboração da autarquia funchalense, “a eficiência, a eficácia e a solidez” com que trabalha com o grupo


Jornal da Madeira

“Madeira: A sua viagem de encantar”




Campanha de 680 mil euros mostra Madeira de encantar

Promoção apela ao imaginário






A secretária regional do Turismo e Transportes esteve ontem Lisboa para a realização de uma conferência de imprensa agendada para detalhar a nova campanha promocional que o destino Madeira calendarizou para a nova estação de Inverno. Conceição Estudante disse que se chama “Madeira: A sua viagem de encantar” e que vai apelar ao imaginário dos contos infantis de histórias como a Branca de Neve, o Capuchinho Vermelho, Cinderela, Peter Pan ou a Pequena Sereia.
A governate evidenciou que se trata de uma aposta que se trata de um esforço acumulado que irá procurar manter a chama acesa da procura do turista continental peno mercado madeirense, que registou um crescimento de quase 16 por cento nos primeiros sete meses do ano, traduzido em mais de 30 mil turistas.
A campanha está orçada em mais de 680 mil euros e vai ser feita através de diferentes plataformas: rádio, internet, outdoors e nos terminais Multibanco.



Jornal da Madeira

Madeira abre em Lisboa Posto de Turismo

Já em Outubro


A Madeira voltará a ter em Outubro um Posto de Turismo em Lisboa. Depois de encerrado há meses o anterior no Palácio da Foz, foi encontrada uma solução de partilha de espaço com o Banif, na Rua do Ouro. A instituição cede lugar na capital para o destino promover o arquipélago e, na região autónoma, o posto de informações do Curral das Freiras disponibiliza uma micro-agência do banco.





A Madeira vai ter de novo um Posto de Turismo em Lisboa, depois de ter sido quase forçada a deixar o espaço que tinha no Palácio da Foz, nos Restauradores. Conceição Estudante, secretária de Turismo e Transportes, que ontem realizou uma conferência de imprensa na capital para manter acesa a aposta no mercado continental, visitou durante a tarde o novo posto de informação turística instalado numa das principais agências do Banif, na Rua do Ouro. Uma realidade que a governante adianta ao Jornal da Madeira surgir fruto de um acordo com a instituição que vem permitir igualmente que o banco tenha uma pequena representaçã, uma micro-agência no posto de turismo existente no Curral das Freiras.
Conceição Estudante considera relevante voltar a ter uma presença física em Lisboa por permitir responder à procura que já verificava nas anteriores instalações, não só para quem já tenha viagem marcada para a região autónoma como também para quem pretenda obter informações antes de se decidir pela viagem.
A abertura do novo posto vai acontecer durante o mês de Outubro e contará com os quadros que já trabalhavam nas anteriores instalações,. não muito distantes das novas.
O horário de trabalho será adequado ao funcionamento do banco, entre as 8.30 horas e as 15 horas.




Jornal da Madeira

594 escalas na Região 'BLACK PRINCE'

42 ANOS DEPOIS O 'BLACK PRINCE' DESPEDE-SE A 6 DE OUTUBRO DA PONTINHA. Data: 30-09-2009




No próximo dia 6 de Outubro, o porto do Funchal acolherá a última escala do paquete 'Black Prince', naquela que será a sua 594ª presença na Região. A sua despedida da Pontinha está a ser preparada com bastante antecedência pelo agente de navegação João de Freitas Martins, SA (JFM). Ao DIÁRIO, Lino Ribeiro, director de operações da JFM, referiu que "esta última escala do 'Black Prince' será dignamente assinalada. O navio viaja também com antigos tripulantes - um 'Hotel Manager', um 'Cruise Director' e alguns marinheiros filipinos, da década de 80, nomeadamente do ano de 87, data a partir da qual passou a operar como navio de cruzeiros. Infelizmente o comandante dessa altura não se encontra bordo, por motivo de saúde. A todos eles iremos oferecer uma garrafa de vinho da Madeira, colheita de 1967".

Ainda no respeitante à cerimónia de despedida, Lino Ribeiro referiu que "a Administração dos Portos da Madeira está, igualmente, a preparar uma série de iniciativas, das quais destaco a oferta aos antigos a cada um dos tripulantes de uma gravata e, para as senhoras, um lenço com o monograma da APRAM. O Clube de Entusiastas de Navios (CEN) da Madeira irá estar presente na cerimónia de troca de crestas. Para o final da escala está prevista a actuação de um grupo folclórico. Já ao largo, o navio será brindado com jactos de água lançados a partir do canhão de água do rebocador de serviço ao porto", concluiu.

Recorde-se que este paquete entrou ao serviço da Fred. Olsen Cruise em 1966, ano da sua construção. A sua primeira escala na Pontinha teve lugar a 10 de Maio de 1967.

Do seu historial, de destacar que o mesmo entrou ao serviço 19 de Outubro de 1966, operando, inicialmente como navio misto (transporte de carga, viaturas e de passageiros), entre o Reino Unido e as ilhas Canárias/ Madeira, no período de Inverno.

O 'Black Prince' será retirado do serviço em finais do próximo mês de Outubro. Terá como destino os mares da Venezuela, onde irá operar como navio de cruzeiro. Com efeito, o 'Black' foi comprado pela companhia Venezuelana SAVECA, C.A, acordo esse que apenas será cumprido após a realização do último cruzeiro ao serviço da Fred Olsen, agendado para o dia 16 de Outubro.

'Black Prince' tema de conferência

No âmbito das diferentes iniciativas que estão programadas para a despedida deste paquete do porto do Funchal, o CEN decidiu assinalar a efeméride com uma conferência subordinada ao paquete 'Black Prince', a qual terá lugar amanhã, dia 1 de Outubro, pelas 18.30 horas, no auditório da FNAC, no Madeira Shopping. Luís Miguel Correia, escritor naval português, com vários livros publicados, é o convidado do CEN, aquele que é o único Clube de Entusiastas de Navios de Portugal.


DN Madeira

Aretha Franklin - I Say A Little Prayer



Lyrics/Letra

The moment I wake up
Before I put on my makeup
I say a little pray for you
While combing my hair now,
And wondering what dress to wear now,
I say a little prayer for you

Forever, and ever, you'll stay in my heart
and I will love you
Forever, and ever, we never will part
Oh, how I love you
Together, forever, that's how it must be
To live without you
Would only meen heartbreak for me.

I run for the bus, dear,
While riding I think of us, dear,
I say a little prayer for you.
At work I just take time
And all through my coffee break-time,
I say a little prayer for you.

Forever, and ever, you'll stay in my heart
and I will love you
Forever, and ever we never will part
Oh, how I'll love you
Together, forever, that's how it must be
To live without you
Would only mean heartbreak for me.

I say a little prayer for you

I say a little prayer for you

My darling believe me, ( beleive me)
For me there is no one but you!
Please love me too (answer his pray)
And I'm in love with you (answer his pray)
Answer my prayer now babe (answer his pray)

Forever, and ever, you'll stay in my heart
and I will love you
Forever, and ever we never will part
Oh, how I'll love you
Together, forever, that's how it must be
To live without you
Would only mean heartbreak for me (oooooooooh)

Nos Mares da Madeira

Baleias



Golfinhos

terça-feira, 29 de Setembro de 2009

Inaguração do Caminho Municipal do sítio do Facho à Caldeira (Câmara de Lobos)




O Presidente do Governo Regional da Madeira, inaugurou no dia 28 de Setembro, segunda-feira, às 17.30 horas, na Freguesia e Concelho de Cãmara de Lobos, o Caminho Municipal do sítio do Facho à Caldeira.

Esta estrada, vem servir uma ampla área agrícola, para além de ser fundamental como novo acesso ao miradouro do Cabo Girão. Apresenta uma extensão de 1.150 metros, com 5,5 metros de largura e passeios com 1,50m. Faz a ligação entre o sítio do Facho no Cabo Girão e a Rua Padre António Rodrigues Dinis Henriques, na Caldeira, junto ao Convento.

Durante os trabalhos foram feitas terraplenagens, construídos muros de suporte e colocadas diversas infra-estruturas, como redes de água potável, de rega, distribuição de energia eléctrica e telecomunicações, para além de receber uma pavimentação asfáltica.

Trata-se de um investimento da Câmara Municipal de Câmara de Lobos, que ascendeu a 2.661.109,14 Euros.













PGRAM


Nas eleições do último domingo, e apelando à ida às urnas no dia 11 de Outubro
Jardim agradece participação cívica


O presidente do Governo Regional agradeceu ontem a participação cívica dos madeirenses nas eleições do último domingo e apelou aos eleitores para irem às urnas no dia 11 de Outubro, dia das eleições autárquicas, independentemente do sentido de voto de cada um. O apelo do presidente do Governo Regional foi feito nos dois actos inaugurais a que presidiu ontem, no final do dia, um em Câmara de Lobos, o outro em São Vicente.




Um dia depois das eleições legislativas nacionais, o presidente do Governo Regional agradeceu aos madeirenses que exercerem o seu direito cívico no dia anterior.
«Começaria por agradecer a todos aqueles que ontem (anteontem), independentemente do partido em que votaram, foram cumprir o seu dever para com a sociedade», disse Alberto João Jardim, nos dois actos inaugurais a que presidiu ontem, ao final da tarde.
O líder regional aproveitou os dois momentos para também apelar à participação dos cidadãos nas próximas eleições Autárquicas de 11 de Outubro.
Como as responsabilidades públicas ainda não terminaram, referiu Alberto João Jardim, «peço para que, de domingo a oito dias, então que se vai tratar da eleição da Câmara, da Assembleia Municipal e da Junta de Freguesia, que todos, conforme a sua consciência, estejam presentes nesse acto eleitoral».
Sublinhando que acredita na democracia, Jardim recordou que as eleições são a «soberania do povo e porque eu acredito na democracia, eu fico descansado quando o povo escolhe. Porque seja qual for a escolha, eu acredito na democracia», salientou o governante, já na inauguração do Caminho Municipal do Facho à Caldeira, em Câmara de Lobos.
Esta nova estrada veio abrir uma paisagem «linda» sobre Câmara de Lobos e parte do Funchal, o que foi relevado pelo presidente no seu discurso.
«É das coisas mais lindas que a Madeira tem», considerou, sugerindo aos madeirenses para comprovarem com os seus próprios olhos no próximo fim-de-semana alargado.
«Eu faço uma sugestão às pessoas que saírem para passear que passem aqui», disse, elogiando também a construção deste acesso, orçado em 2,6 milhões de euros, e que agora completa o circuito turístico do Cabo Girão.
Antes, o presidente da Câmara Municipal de Câmara de Lobos tinha destacado que a construção daquela estrada era um dos seus compromissos para o mandato que agora termina.
Arlindo Gomes disse que a nova estrada irá chamar-se “1 de Julho”, em homenagem à Região e à Autonomia.

A OBRA


O Caminho Municipal do sítio do Facho à Caldeira custou 2,6 milhões de euros e é um acesso «fundamental» ao miradouro do Cabo Girão.
A estrada tem uma extensão de 1.150 metros e faz a ligação entre o sítio do Facho, no Cabo Girão, e a Rua Padre António Rodrigues Dinis Henriques, na Caldeira, junto ao Covento.
Durante os trabalhos foram feitas terraplanagens, construídos muros de suporte e colocadas diversas infra-estruturas, como redes de água potável, de rega, distribuição de energia eléctrica e telecomunicações, para além de receber pavimentação asfática.




Jornal da Madeira

Inaguração da Zona de Lazer no sítio da Primeira Lombada Freguesia da Ponta Delgada (São Vicente)




Presidente do Governo Regional da Madeira inaugurou no dia 28 de Setembro de 2009, pelas 18.30 horas, a Zona de Lazer da Freguesia da Ponta Delgada no Concelho de S. Vicente.

Construída no sítio da Primeira Lombada, a Zona de Lazer fica situada numa parte alta da Freguesia, com o espaço recreativo integrado num cenário paisagístico marcado pelo natural da Floresta Laurissilva do norte da Madeira.

Na construção desta zona de lazer, foram criados espaços com diversas áreas de circulação e de estar para actividades de recreio, zona de merendas e usos de churrascaria. Criaram-se ainda lugares cobertos e abrigos, com uma arquitectura semelhante aos tradicionais palheiros madeirenses, com a utilização de madeiras tratadas. Foram instalados diversos pontos de água potável.

No capítulo da arborização, optou-se por uma selecção de árvores e arbustos naturais e endémicas da Região, nomeadamente, o til, o barbusano, o loureiro e o vinhático.

A Zona de Lazer de Ponta Delgada, é uma obra da Câmara Municipal de São Vivente e ascendeu a 168 Mil Euros.










PGRAM

Jardim anunciou que Madeira vai apresentar proposta e espera coerência dos partidos
Revisão da Lei de Finanças


O presidente do Governo Regional anunciou ontem que será apresentada uma nova proposta de Lei de Finanças Regionais, agora que na nova legislatura o PS tem uma maioria relativa na Assembleia da República. Alberto João Jardim só espera que «todos os outros partidos, que na anterior legislatura votaram ao lado da nossa proposta, mantenham a coerência e seja, portanto, revogada a lei do Partido Socialista».




Alberto João Jardim anunciou, ontem, que será apresentada uma nova proposta de Lei de Finanças Regionais na Assembleia da República e espera que os partidos da oposição, que se opuseram à actual, sejam coerentes.
O presidente do Governo Regional falava à margem da inauguração de uma nova zona de lazer, no sítio da Lombada, em São Vicente, um dia depois das eleições legislativas nacionais que retiraram a José Sócrates a maioria absoluta.
Com uma nova relação de forças no parlamento nacional, em que todos os partidos da oposição têm mais lugares do que o PS, Jardim avança para uma outra versão da polémica lei, que em 2006 suscitou eleições anticipadas na Madeira.
«Desde já informo que vamos apresentar de novo a nossa versão da Lei de Finanças Regionais na Assembleia da República, visto que a Constituição permite, porque se houver coerência dos partidos, como todos os outros partidos na anterior legislatura votaram ao lado da nossa proposta, eu espero que mantenham a coerência e seja, portanto, revogada a lei do Partido Socialista», desejou Alberto João Jardim, considerando esta «uma prova à coerência dos partidos políticos».
Por outro lado, o líder regional também se pronunciou sobre os resultados desfavoráveis para o PSD ao nível nacional das eleições de domingo, adiantando, no entanto, que Manuela Ferreira Leite mantém condições para continuar a liderar o partido.
«Eu seria a última pessoa a dizer algo contra a Drª Manuela Ferreira Leite, dada a forma digna e leal com que defendeu sempre a Madeira, no que foi um exemplo para outros dirigentes partidários e anteriores líderes partidários que, às vezes, se metiam em copas e não tinham a coragem que ela teve», declarou Alberto João Jardim, que comentou ainda o silêncio de Cavaco Silva relativamente ao caso das escutas.
Instado pelos jornalistas, Jardim disse que «essas perguntas devem ser feitas ao senhor Presidente da República. São perguntas que na Grécia antiga se fazia à Esfinge», comentou, encerrando o assunto.
Quanto à inauguração da Zona de Lazer da Ponta Delgada, um investimento da Câmara Municipal de São Vicente que ascendeu a 168 mil euros, o presidente do Governo Regional elogiou a «visão estratégica» do presidente de câmara Humberto Vasconcelos, por criar uma zona tão atractiva, que Jardim adivinha venha cativar pessoas de toda a ilha.
A Zona de Lazer, com todas as condições para piqueniques, está localizada numa área privilegiada, num vale de beleza ímpar.
Tal facto não foi ignorado por Jardim, que felicitou Humberto Vasconcelos pela visão estratégica.
O presidente recordou que neste como nos anteriores mandatos teve a oportunidade de inaugurar «vários melhoramentos na zona das Lombadas, mas faltava isto. Faltava este sentido estratégico que, neste momento, este empreendimento significa», salientou.
Agora, continuou o líder regional, «na sequência dos bens essenciais que as Lombadas já têm, instala-se algo para tornar aprazível a deslocação de pessoas às Lombadas, para que as Lombadas não sejam apenas frequentadas pelas pessoas que cá moram e pelos seus amigos e familiares, para despertar a todo o povo que não é da Ponta Delgada o interesse, a vontade de vir visitar as Lombadas, porque já têm uma zona de lazer, já têm uma zona para praticar o seu turismo interno», referiu o presidente do Governo Regional.
Alberto João Jardim agradeceu ainda aos proprietários dos terrenos onde foi criada a zona de lazer, pela cedência gratuita destas parcelas que permitiram criar o espaço público.
O mesmo fez o presidente da Câmara Municipal de São Vicente.
«Queria agradecer à família do senhor Henrique Andrade e à família do senhor Janes, que ofereceram os terrenos para que hoje pudéssemos estar aqui nesta inauguração», referiu Humberto Vasconcelos, explicando que esta «oferta» possibilitou que a Câmara Municipal, juntamente com a Junta de Freguesia da Ponta Delgada, construísse aquele parque de merendas, «criando uma zona nobre onde as pessoas podem usufruir de bons momentos de lazer».
O edil pediu, por outro lado, que os utilizadores daquele espaço o conservem bem.
«Este espaço tem de ser mantido, e todo aquele que for visto a vandalizá-lo» deve ser denunciado às autoridades, porque «temos de mantê-lo com esta qualidade», pediu o autarca, recordando que «foi com um grande esforço da autarquia» que o mesmo foi feito.
O edil agradeceu ainda ao presidente do Governo Regional pelo apoio que tem dado à Câmara Municipal. «Sem esta junção de esforços entre o Governo Regional, a Câmara Municipal e a Junta de Freguesia, isto não era possível erguer», disse.


A OBRA

A Zona de Lazer da Freguesia da Ponta Delgada, ontem inaugurada pelo presidente do Governo Regional, é um investimento da Câmara Municipal de São Vicente que ascendeu a 168 mil euros. Construída no sítio da Primeira Lombada, a Zona de Lazer é um espaço recreativo integrado num cenário paisagístico marcado pelo natural da Floresta Laurissilva do norte da Madeira.
Na construção desta zona foram criados espaços com diversas áreas de circulação e de estar para actividades de recreio, zona de merendas e usos de churrascaria. Criaram-se ainda lugares cobertos e abrigos, com uma arquitectura semelhante aos tradicionais palheiros madeirenses, com a utilização de madeiras tratadas. Foram instalados diversos pontos de água potável. No capítulo da arborização, a autarquia optou por uma selecção de árvores e arbustros naturais e endémicos da Região, nomeadamente o til, o barbusano, o loureiro e o vinhático.




Jornal da Madeira

Câmara renova zonas altas (Ribeira Brava)


Edilidade da Ribeira Brava aposta na requalificação de vários sítios e ainda na criação de empresas municipais


A Câmara da Ribeira Brava vai criar empresas municipais e intermunicipais, em áreas a divulgar oportunamente. Por outro lado, Ismael Fernandes anuncia a requalificação urbanística das zonas altas do concelho. Ismael Fernandes, presidente da autarquia, anuncia ainda a construção de vários caminhos municipais e uma forte aposta na área social, com destaque para a implementação de novos mecanismos de apoio para as famílias numerosas e para a recuperação de habitações degradadas.


A Câmara da Ribeira Brava vai dar início à requalificação urbanística das zonas altas do concelho, anunciou ontem ao JM o presidente da autarquia. Em grande parte dos projectos, está incluída a construção de uma praceta.
Ismael Fernandes diz que esta recuperação urbanística vai estender-se a sítios como Furna, Espigão e São Paulo, na Ribeira Brava, Lugar da Serra e Terreiros, no Campanário, e da Ribeira da Tabua, na Tabua.
O autarca lembra ainda o esforço que está a ser feito em termos de novos caminhos e ainda no que se refere à área social. E anuncia a criação de empresas municipais e intermunicipais, em áreas ainda a definir.

Inovação dos serviços municipais

O presidente da Câmara lembra ainda a revisão do Plano Director Municipal local e a aposta na inovação dos serviços municipais.
O autarca diz que será feita a modernização do atendimento camarário, a implementação de serviços de proximidade às populações, a descentralização administrativa, a aposta nos formulários e serviços on-line e a interligação dos departamentos municipais e Juntas.
O social é, em termos de sector, a grande prioridade de Ismael Fernandes. O presidente da Câmara Municipal da Ribeira Brava anuncia também que serão implementadas de medidas de discriminação positiva a famílias numerosas, será dado apoio a famílias com carência económica e à criação de emprego e ainda aos desempregados na ocupação dos tempos livres.
O combate à exclusão social, a melhor qualidade dos serviços de saúde, as parcerias com entidades da área da saúde para a promoção de rastreios e de prevenção de doenças, aproximando-as aos núcleos habitacionais mais distantes, as parcerias com todas as Instituições Particulares de Solidariedade Social do concelho e a criação do cartão sénior são outras metas de Ismael Fernandes.
O autarca fala ainda na criação de um “slogan” para o concelho: “Concelho limpo e verde”, no aumento da recolha selectiva de resíduos, na continuidade da renovação e reforço das redes de Saneamento Básico e de Água e no incentivo aos condomínios para a colocação de eco-pontos internos.
A Câmara da Ribeira Brava prepara ainda a recuperação e criação de percursos pedonais com interesse na dinamização das economias locais, junto das levadas de rega, a dinamização de espaços de lazer, com aposta na vertente ambiental e ainda a construção de acessos pedonais e núcleo museológico do Calhau da Lapa.
A recuperação de caminhos agrícolas, veredas e miradouros, a construção de jardins públicos e uma campanha de informação e incentivo à população para um maior recurso às energias renováveis são outros objectivos da edilidade ribeirabravense.

Museu do Emigrante

Na área da Cultura e Turismo, serão dados incentivos aos talentos locais, dinamizados espaços ao ar livre, com a promoção de iniciativas culturais e animação de rua, promovidos intercâmbios culturais entre instituições do concelho e instituições nacionais e internacionais e dados apoios às Casas do Povo, associações e instituições culturais e ao Turismo.
Também será criado um roteiro de informação turística e o Museu do Emigrante.
Ismael Fernandes lembra igualmente a aposta na área da Habitação, com auxílios à recuperação, reabilitação e melhoramento das condições de habitabilidade das populações. Será ainda executada a reabilitação urbana de casas degradadas, com especial atenção para a Ribeira Brava e serão estabelecidos mecanismos de apoio à habitação jovem, quer na auto-construção quer na recuperação de imóveis.
A edilidade também vai criar o Conselho Municipal da Juventude, dar continuidade ao Cartão Jovem e criar o gabinete do desporto autárquico, bem como ainda recuperar escolas para centros sociais e atribuir bolsas de estudo aos alunos do Ensino Superior.



Jornal da Madeira

Fotos do Andamento da Construção da Nova Igreja do Jardim da Serra Parte 1









(Fotos Hi5 Jardim da Serra)